Cultura Portuguesa em visita

Vinte de julho foi o dia escolhido para fechar as sessões sobre Cultura Portuguesa que, integradas nas atividades do projecto SVE 20 2015-2-PT02KA105-002570, e na qualidade de colaboradores voluntários, desenvolvemos desde início de março.
Depois de analisadas várias hipóteses (a nossa zona é tão rica em paisagens e locais com História…), foi escolhido o Buçaco como local de destino.
Os objetivos foram definidos! Visitar a mata, o obelisco e o museu militar que assinalam a batalha de 27 de setembro de 1810 e ainda o maravilhoso palace-hotel, assim como conviver ainda um pouco mais – são tão tristes as despedidas!…
Porquê a mata, lindíssima e fresquíssima até nestes dias de canícula? Para viajar até ao séc. XVII, uma vez que a sua plantação data dessa época, tendo sido realizada por monges carmelitas com vista à criação de um oásis no seu deserto propício à meditação – e quanto atualmente também precisamos, nestes dias conturbados, de meditar junto da natureza…
Porquê o obelisco e o museu militar? Para viajar até ao início do séc. XIX, recordando as invasões francesas e o episódio da batalha do Buçaco que, com a vitória dos exércitos anglo-lusos sobre o exército francês, foi mais um marco da luta dos portugueses pela independência que há tantos séculos mantemos.
Porquê o palácio (palace-hotel)? Para viajar até aos finais do séc. XIX, época conturbada e difícil da nossa história, e compreender a necessidade que então se sentiu de marcar um pensamento positivo sobre o país e de construir, em pleno coração da Beira Litoral, uma “casa de sonhos”.
Transportados na carrinha da EPA, habilmente conduzida pela Maria Manuel, na companhia dos jovens voluntários e ainda da Prof. Olinda Paula, as horas correram sem se dar por ela!
Foi um belo dia de verão nesta nossa zona Centro que vai do Atlântico até à Serra da Estrela, avistados ambos lá de cima, do local do obelisco.
Território, natureza, língua, história, demografia, arte, literatura – nunca nada é demais para melhor conhecer um povo e uma cultura.

Teresa Beirão e Francisco Costa Pinto
(Professores Voluntários, responsáveis pelas aulas de Cultura Portuguesa frequentadas pelos participantes do programa Serviço Voluntário Europeu na AEVA)